shots

Volta ás aulas… Saco. Ler o Grande Gatsby, A letra Escarlate e um do Poe.

Queria um dia de 72 horas apenas para poder ler tudo isso ate setembro…

Queria me desviciar de baladas dominicais… $ão prejudiciai$ a quem quer comprar um kinnect com jogo de dança e recebeu apenas 3 turmas.

Queria que aquele garoto da minha sala parasse de me olhar como se eu fosse um prato de comida.

O que alguns caras fazem no primeiro encontro e como eu interpreto

Se ele roeu as unhas, ou mostra as unhas roídas isso significa ansiedade e nervosismo ante o primeiro encontro.

Se ele vai usando sandálias, bermuda, ou roupas de tarde e o encontro é num bar, por exemplo, vejo meus pais brigando porque minha mãe está arrumada, e meu pai está ainda usando a camisa do Brasil.

Se ele não se oferece para dividir as contas, vejo minha carteira sendo esvaziada a todo o momento… Algo como o que aconteceu com o Raymond.

Se ele começa a falar repetidas vezes a mesma coisa, vejo um comportamento maníaco por trás.

Se ele passa a mão no cinto, pega no quadril ou põe a mão no bolso, vejo que ele está a fim de sexo.

Se ele está usando sapatos sociais, ele trabalha muito e não vai ter tempo para mim… Se está usando tenis, ele é descolado demais e vai dar preferência aos amigos do que a mim… Se ele está usando all stars, é hipster e está interessado em afrontar meu espírito de mauricinho. Se ele está usando sapatênis, bem, ponto positivo. (Uma amiga tem uma teoria que define os homens pelos sapatos que eles usam).

Se ele diz que ainda não passou no vestibular, vejo sem levar a sério o relacionamento.

Se ele passa meia hora no celular, eu me vejo num futuro no qual ele chega em casa apenas para dormir, enquanto eu fico na mão, nesse sentido que você pensou.

Errado ou não, me tornei criticamente seletivo, e sei o que não quero.

O portão de Hades

E tem aquela noite ociosa de sábado na qual a cidade está vazia e você, ao invés de assistir o Zorra Total ou tentar sair da fase 36 do Candy Crush, decide ir a boate gay.

O primeiro impacto foi na entrada. A portaria serve como bar e os garçons servem os clientes usando apenas uma sunga, o que chega a ser desconcertante para alguns mais pudicos, animador para os mais seduzíveis ou até mesmo digno de pena para outros (como no meu caso que pensei:” esse homem deveria estar em casa assistindo tv, mas está aqui, seminu, para ganhar dinheiro e pagar o ipva”).

Com duas doses, a entrada foi liberada e me senti cruzando o portão de Hades. Pude ouvir o soar das trombetas do apocalipse (ou algo parecido a uma furadeira, saindo pelos amplificadores), ver zumbis se contorcendo (ou homens de meia idade usando roupas quatro números menores do que Glória Kalil recomendaria e que dançavam ao barulho , ooops, trombeta do apocalipse), ver zumbis famintos (que te encaravam desejando comer seu cérebro – ou outra coisa), uma horda de zumbis atacando um senhor (ou jovens se aproveitando de um cara que estava com muito dinheiro).

Com uma cerveja em mãos refleti: Pra onde a solidão me trouxe? Eu não quero um zumbi para minha vida.

Joguei a cerveja que tinha esquentado, pedi um táxi e voltei para debaixo das cobertas.

Encontros

Imagem

Adoro as séries inglesas pela semi-ausência de clichês quando comparadas as series americanas.

Me deparei com esta, Dates, que narra personagens em suas frustrações indo a encontros em plena Londres. Todos os personagens se inscreveram num site, e nos resta o questionamento… “será que deu certo?”, “em quê ele falhou?”.

Apesar de seus defeitos, suas falhas e suas frustrações, eles querem ser amados, como todo o ser humano, e embora levem foras, fiquem nervosos no primeiro encontro, vão pra cama e acabam sendo ignorados eles não desistem de achar o tão falado amor.

 

Outro

Se chamava Renan e tinha sido assaltado. Conversamos sobre o quanto que as terras da Fafá estão perigosas, e, não sei como foi, mas trocamos telefones e nos falávamos por horas.

Combinamos de sair. Barzinho de rock, meia luz, olhos nos olhos.

“Preciso ir, não posso beber muito… Estou dirigindo e amanhã tenho que trabalhar.”, foi o que eu disse, antes de pagar a conta e irmos para o carro. Ele colocou o cinto, eu me aproximei e nos beijamos.

Em síntese: calor, suor, saliva, camisinha e sêmen. (E o flanelinha espiando).

No dia seguinte, como de costume antes de transarmos, eu telefonei, mas dessa vez ele não atendeu e nem ligou em seguida. Enviei sms e ele não respondeu. Isso significa que devo esperar pelo título desse post.